Com avanços recentes as tecnologias passaram por uma drástica redução de custos, a internet banda larga tornou-se amplamente disponível em diversos continentes, e uma variedade enorme de dispositivos foram desenvolvidos com a capacidade de se conectar à rede WiFi. Todos estes fatores acabaram criando um cenário perfeito para a disseminação do conceito de Internet das Coisas (IoT) em todo o mundo. E com a sua rápida evolução, as ofertas de automação residencial se multiplicaram, assim como os seus benefícios.

Por meio de equipamentos inteligentes, hoje as pessoas conseguem deixar suas casas mais modernas e ligar a segurança e o conforto à economia de energia. Elas também têm a possibilidade de controlar as luzes da residência, além de ares-condicionados e outros aparelhos domésticos, de forma mais inteligente, visando eliminar o desperdício e reduzir ao máximo o consumo de energia elétrica. A seguir, veja como economizar com a Internet das Coisas, sem sacrificar o seu conforto e ainda deixar sua casa mais sustentável. Acompanhe:

Economia: um dos pilares da Internet das Coisas

Você já parou para pensar sobre quantas lâmpadas e eletrodomésticos existem em sua casa? Algumas dezenas, não é verdade? Isso é resultado do constante avanço da tecnologia e da globalização, que faz com que a população tenha cada vez mais equipamentos eletrônicos. Embora facilitem muito a nossa vida e eliminem tarefas enfadonhas, eles elevam bastante o consumo de energia elétrica em uma residência, além de contribuírem para a degradação do meio ambiente.

Estes problemas não só afetam suas finanças no final do mês, como também colaboram para reduzir a sua qualidade de vida. Embora a economia de energia seja uma preocupação de muitas pessoas, elas ainda se perguntam se para poupar terão que mudar seus hábitos e abrir mão dos confortos diários. Graças à IoT, isso não deve ser mais uma preocupação, já que a economia é um dos seus pilares. Uma casa inteligente, além de conter lâmpadas inteligentes e outros aparelhos que geram economia, ainda oferece praticidade, conforto e segurança aos moradores.

Como a casa inteligente pode ser mais econômica?

A economia gerada por uma casa inteligente se dá de uma maneira bem simples: por possuir um aplicativo instalado em seu smartphone, que pode controlar e ajustar remotamente os aparelhos, lâmpadas e sistemas de segurança, o morador pode ligar apenas aquilo que desejar ou precisar em um determinado momento e na intensidade necessária, sem ter que usar toda a potência dos dispositivos. Sabe aqueles aparelhos que ficam em modo de espera, ligados à tomada? Eles podem ser responsáveis por até 20% do consumo de energia da sua casa.

Com tomadas inteligentes, você pode controlar quando o computador, a cafeteira e o ar condicionado devem ficar ligados ou desligados, caso não estejam sendo utilizados. E aquela iluminação que tem como única finalidade decorar um determinado ambiente? Você também pode gerenciar a potência das lâmpadas inteligentes e economizar bastante energia. Além disso, alguns aparelhos podem funcionar através de sensores de movimento, que captam a presença humana e ativam as luzes apenas quando alguém está no ambiente.

As inovações que contribuem para a baixo consumo energético

É impossível negar que a Internet das Coisas oferece uma série de oportunidades incríveis, muitas das quais ainda não podemos sequer imaginar ou compreender totalmente o impacto em nossas vidas. E nos dias de hoje, com a falta de água ameaçando a produção de energia em alguns países, os dispositivos inteligentes ganham uma atenção especial. As lâmpadas inteligentes, por exemplo, economizam até 80% mais energia do que as tradicionais, além de durarem até 25 vezes mais. Em tempos de crise energética, elas se tornam ferramentas úteis e extremamente essenciais para a vida de qualquer pessoa.

Existem até uma proposta mundial de criação de uma rede elétrica inteligente, também conhecida como Smart Grid, que integra o consumo e a geração de energia. Isso significa que, num futuro não tão distante, as novas redes de distribuição serão automatizadas com medidores de qualidade e de consumo de energia em tempo real. Com isso, a nossa casa irá ‘conversar’ com a empresa geradora de energia e até fornecer eletricidade para ela. Por meio de um site, os moradores poderão acompanhar o gasto energético dos aparelhos com precisão e saber quanto vai custar a fatura de energia no final do mês.